Capa Churrasco Fogo de Chão

Churrasco

História do Churrasco

História do Churrasco

História do Churrasco

Nos primeiros tempos a alimentação humana era essencialmente vegetariana, feita principalmente da coleta de frutos e algumas folhas. Mas uma vez provada a carne, esta jamais saiu do seu cardápio, incorporando-se definitivamente aos seus hábitos alimentares. Depois da descoberta desse sabor, qualquer animal que andasse por cima da terra, cruzasse os ares ou deslizasse sob as águas dos rios era prenúncio de um delicioso e farto banquete. Para isso, esse ancestral do Homo Sapiens, saía à caça, munido de paus e pedras, ou de uma arma que naquela época era o que havia de mais avançado em termos de tecnologia: a lança de pau com ponta de pedra afiada. Essas batalhas diárias, travadas com as feras pela sobrevivência, garantiram a perpetuação da espécie, contribuindo para a sua evolução até os nossos dias.

Os primeiros nacos de carne saboreados pelo Homem foram “in natura”, leia-se, crus e cheirando a sangue. O único referencial que os candidatos a “gourmets” daqueles tempos possuíam era a prática observada entre os outros animais carnívoros que, além de serem os seus primeiros “professores gastronômicos”, também engrossavam o cardápio dos humanos. Essa tradição culinária – de comer carne crua – é mantida ainda hoje pelos esquimós com a foca e por algumas comunidades árabes com a carne de cordeiro.

História do Churrasco

História do Churrasco

Assim se alimentou a humanidade por longos anos até a descoberta do fogo, elemento natural que mudou radicalmente a vida de todos que passaram a dominá-lo e a usufruir de sua força transformadora. Inicialmente ele só servia para aquecer durante o inverno e para afugentar as feras que queriam fazer do Homem o seu prato predileto. Mas um belo dia, por acaso, como quase todas as grandes descobertas da humanidade, alguém resolveu chamuscar as carnes que tinha acabado de caçar. O resultado não podia ser melhor, pois além da considerável melhora no sabor, perceberam que nos dias seguintes o assado continuava bom para consumo, não se deteriorando tão rapidamente como a carne crua. Assim nascia o churrasco, que podemos considerar como o mais antigo dos pratos da culinária mundial.

A domesticação de rebanhos bovinos, suínos, caprinos e ovinos, foi outro fator que contribuiu para incrementar essa mudança nos hábitos alimentares dos nossos ancestrais, o que garantiu o abastecimento seguro de carne, não mais o Homem ficando na dependência da sorte em suas caçadas. Com o passar do tempo, as técnicas foram sendo aperfeiçoadas, principalmente entre os caçadores e criadores de gado, dependendo sempre do tipo de carne e lenha disponíveis.

Os índios tupis sul-americanos, por exemplo, costumavam defumar a carne de caça sobre grelhas de madeira, e desse modo ela se conservava apta para o consumo durante longo tempo. Na América do Sul, a primeira grande área de criação de gado foram Os Pampas, uma extensa região de pastagem natural que compreende parte do território do estado do Rio Grande do Sul, o Brasil, além do Uruguai e Argentina. Foi ali que os vaqueiros, conhecidos como gaúchos tornaram o prato típico e famoso.

A carne assada era a refeição mais fácil de ser preparada quando se passava dias fora de casa, bastando uma estaca de madeira, uma faca afiada, um bom fogo e sal grosso, ingrediente abundante que é utilizado como complemento alimentar do gado.

A partir dali, o costume cruzou as regiões e se tornou um prato nacional, multiplicando-se as formas de preparo, o que gera entre os adeptos muita discussão sobre o verdadeiro churrasco, como por exemplo: a utilização de lenha ou carvão, de espeto ou grelha, temperado ou não, com sal grosso ou refinado, de gado, suíno, ovino ou frutos do mar.

História do Churrasco Gaúcho

História do Churrasco Gaúcho

O correto é afirmar que não existe fórmula exata, uma vez que cada região desenvolveu tipos diferentes de carne assada. Sem dúvidas, a imagem mais famosa no Brasil é o churrasco preparado pelos vaqueiros, conhecidos como gaúchos, que se transformou na denominação dos cidadãos nascidos no estado do Rio Grande do Sul.

Hoje em dia, o churrasco é uma linguagem universal. Ele pode até ter outros nomes e modos de preparo, mas em qualquer lugar do mundo churrasco é sinônimo de alegria, confraternização, bons momentos e liberdade.

A propósito, você está livre para um churrasquinho hoje?

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>